11 dezembro 2018

Piquenique na Fanzinoteca


Vai acontecer na próxima quarta, dia 12/12 às 14h o primeiro Piquenique na Fanzinoteca e quem quiser somar é só aparecer. Vai ter um mutirão para pintura de vários painéis nas paredes da Fanzinoteca. Quer marcar presença com um stencil seu, do projeto ou coletivo do qual participa e colaborar com o mutirão? É só selecionar uma imagem de sua preferência, ou bater uma foto que quiser usar para a pintura e levar na hora da oficina ou pode enviar antecipadamente em mensagem inbox pra nós ou pelo email: projetoifanzine@gmail.com 
Troca sugerida: Traga uma tolha de mesa, um lanche para o Piquenique Colaborativo. Vamos registrar este dia que celebra a permanência da Fanzinoteca no prédio atual e o fim de um ano de muitas realizações e parcerias!
O fazer artístico, em toda a sua forma, não pode ser domesticado ou aprisionado; não é sobre algo distante, intocável, restrito; não se detém apenas na compreensão e/ou representação pessoal do concreto, mas, em sua natureza, em seu lirismo, qualifica-se como o "manifesto" de nossa própria voz e existência, culminando na construção gradual do “eu” subjetivo a que o emprego de adjetivos tanto falha em descrever. Com isso, a Fanzinoteca, além de ser um lugar de amor acolhedor, de vivências e aprendizado humanos, que transcende o espaço físico que ocupa, é um lugar propício a esta construção e de estímulo constante deste mesmo fazer artístico, onde, como C. S. Lewis, fui pessoalmente "surpreendido pela alegria". 
Dito isto, na próxima quarta-feira, dia 12 de dezembro, às 14h, a Fanzinoteca do Instituto Federal Fluminense Campus Macaé, fazendo uma alusão a tudo o que o próprio fazer artístico e zineiro nos é capaz de proporcionar, sedia um verdadeiro ágape, contando com produção, exposição e sorteio de zines; trabalhos coletivos de stencil, graffiti; e um piquenique, com a intenção de celebrar a permanência de seu espaço e identidade, as conquistas até aqui obtidas, o encerramento temporário das atividades do projeto devido ao fim de ano e à interrupção do calendário letivo; remontando a vivência, agregação, troca, ocupação, descontração e relacionamentos que nutrimos para muito além de seu espaço. Soa-me ainda como adequado dizer que a proposta é fazer tão somente, como Clarisse Freire, poeta, mesma disse: pó de lua... para diminuir a gravidade das coisas. 
O convite à esta celebração estende-se tanto ao público interno quanto externo; a todos os que, de alguma forma, sentem-se afeiçoados a tudo o que o Projeto IFanzine faz e representa. Esperamos, então, por você, para juntos festejarmos! 
(Texto de Vitor Fortunato e post com arte de Gabriel Mira).

30 novembro 2018

Fanzines Portugueses no Acervo da Fanzinoteca - Custon Ratz

Recebemos de Mário Branca André, autor português de Alpiarca, também conhecido pelo peseudônimo Custon Ratz, as edições do zine Comic Panphlet e Agarra.
Comic Panphlet vem impresso em papel pólen e formato 15x21cm, 16 páginas, com capa em gramatura um pouco mais encorpada que o miolo e impressão em jato de tinta preto e branco, soluções gráficas para produção independente que não desmerecem a qualidade, muito pelo contrário, fortalecem o prazer e a identificação imediata com a proposta indie, além do que as Histórias em Quadrinhos, ou Bandas Desenhadas, como são denominadas pelos portugueses, trazem um estilo bem personal do autor, com estética underground, donde figuram os personagens Cully e Willy, em diálogos que abarcam temas relacionados à questões políticas e existenciais com criticidade e bom humor. 
Já o zine Agarra, vem em formato 9x14cm, com impressão laser, preto e branco e 20 páginas, contém uma HQ poética com belas ilustrações que conduzem a leitura entre grafismos que oportunizam ao leitor uma agradável experiência reflexiva e visual.
Uma honra receber em nosso acervo da Fanzinoteca os zines do Custon Ratz, um dos primeiros autores doadores a inaugurar o intercâmbio internacional da Fanzinoteca. 

Resenha: Beralto.


Título: Comic Panphlet
Autor: Mario Branca André - Custon Ratz
Editora: Independente
Conteúdo: Quadrinhos. Humor.
Formato: 15x21 cm - 16 páginas
Alpiarca - Portugal
Data: 2018

Título: Agarra
Autor: Mario Branca André - Custon Ratz
Editora: Independente
Conteúdo: Quadrinho Poético.
Formato: 09x14 cm - 20 páginas
Alpiarca - Portugal
Data: 2018

Contato:
https://www.facebook.com/kustom.rats.1
Email: mbandre56@gmail.com

12 novembro 2018

Consciência Negra com Zines e Cartuns - Oficinas promovidas pela Fanzinoteca e NEABI


A equipe da Fanzinoteca IFF Macaé está promovendo oficinas de Zine e Humor Gráfico e percorrendo escolas da região para promover discussões e produções coletivas de cartuns com o tema Consciência Negra,  abrangendo percepção dos estudantes sobre questões acerca do racismo, a discriminação, a igualdade social, a inclusão do negro na sociedade, a religião e cultura afro-brasileiras, dentre outros temas relevantes relacionados ao reconhecimento e luta dos descendentes africanos na constituição e na construção da sociedade brasileira.
A iniciativa acontece em parceria com o NEABI, Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas do IFFluminense campus Macaé.
As oficinas serão acompanhadas de mostra de zines advindos de diversas partes do país, e de uma apresentação sobre zines e suas possibilidades como mídia contra-hegemônica, bem como serão apresentadas técnicas de produção de humor gráfico com ênfase no exercício de autoria e criticidade. Os participantes serão convidados a produzirem cartuns abrangendo o tema em questão e os trabalhos poderão ser selecionados para o zine coletivo Afroindi, a ser lançado posteriormente.
Uma das oficinas já ocorreu no IFFluminense Campus Bom Jesus e a próxima oficina ocorrerá no CIEP 455 Maringá, em Macaé. Haverá ainda uma oficina no dia 28 de novembro no próprio campus Macaé.
A Fanzinoteca IFF Macaé funciona de segunda a sexta de 13h30 às 16h30 no IFF Macaé com entrada franca e aberta à comunidade externa. Trata-se de um espaço dedicado à preservação da memória das publicações independentes e disponibiliza para apreciação um acervo de mais de 1000 títulos procedentes de diversas partes do país e exterior, incluindo zines produzidos pelos próprios estudantes da instituição. 

Mostra PEIBÊ reune autores independentes e celebra o mês do fanzine


A Mostra de Zines PEIBÊ este ano aconteceu em dois dias,
contando com oficinas, rodas de conversa, exposição e feira.
O Instituto Federal Fluminense Campus Macaé abrigou pela segunda vez um evento dedicado aos fanzines e publicações alternativas, a Mostra PEIBÊ, que entrou, desde a fundação da Fanzinoteca IFF Macaé em 2017, para o calendário anual dos eventos nacionais que celebram o Dia Nacional do Fanzine, data agitada pela comunidade fanzineiros do Brasil, em lembrança do pioneiro zine Ficção, editado pelo cartunista e colecionador de HQ Edson Rontani. A Mostra de Zines este ano aconteceu em dois dias, 25 e 27 de outubro, compondo a programação da Expocit, uma feira acadêmica que envolveu a comunidade estudantil e promoveu várias atividades no decorrer da semana, o que oportunizou grande afluxo de estudantes e trouxe visitantes externos em caravanas. 
As atividades da Mostra de Zines aconteceram em sua maior parte na própria Fanzinoteca, que esteve lotada no decorrer do evento, e ocupou a quadra poliesportiva da campus no fim do dia, junto aos eventos culturais que aconteceram no fim da semana, incluindo o Halloween da Diversidade, que além do aspecto lúdico associado à festividade, propôs uma reflexão sobre vários temas enfrentados pela sociedade brasileira e mundial no que diz respeito à intolerância.
Exibição do documentário "Fanzine Tchê, 30 anos
de Resistência, inspirando as rodas de conversa com autores.
Oficina Zoozine, com os biólogos Elidiomar Ribeiro da Silva
e Luci Boa Nova, que empolgou o público com a proposta de
unir cultura pop e zoologia.
Ao longo das últimas quinta e sexta de outubro, a programação contemplou oficinas pela manhã e tarde reservada para rodas de conversa com autores presentes, em uma descontraída e entusiasmada interação com a comunidade estudantil, que garantiu a lotação do espaço, mesmo com tempo de chuva. Além dos estudantes da casa, muitos visitantes, tais como os jovens ligados à ong Viva Rio. A exposição de zines, recentemente doados à Fanzinoteca, teve destaque na Mostra. Durante as rodas de conversa, autores e autoras presentes puderam falar sobre sua produção e trajetória na autopublicação com ênfase na fanzinagem, entre os quais estiveram convidados oriundos da capital e até mesmo um docente da rede federal de ensino do estado da Bahia. Houve exibição do documentário inédito "Fanzine TCHÊ, 30 Anos de Resistência", nos dois dias, a partir do qual as rodas de conversa tiveram como tônica os relatos de artistas independentes que evidenciaram a automotivação que move o fazer zineiro, o processo artesanal da produção criativa e gráfica hoje e nos tempos pré-internet e também como o zine tem, no contexto da educação, uma seara promissora para sua inserção e revitalização nos dias atuais. Entre debutantes na área dos fanzines, bem como veteranos de cerca de 40 anos no fanzinato que conheceram a Fanzinoteca, destacando-se ineditismo e importância do espaço dedicado à memória das publicações contra-hegemônicas.
Oficina de Zine Pop-Up com Sara Gaspar, apresentando
possibilidades criativas na artesania zineira.
Autores veteranos com destaque no fanzinato e que puderam compartilhar suas experiências com novos autores, participando da feira de zines e rodas de conversa, entre eles, Wagner Teixeira , Diego Gomes, Carole Bê, Sergio Junior, Paulo Carvalho, David Beat, Gabriel Belmont, Yuri Belmont, Yassu Noguchi, Matheus Araújo, Fabíola Barcelos, Grupo de Leitores Passarinhos no Sótão, Karoll Castro, e os projetos de zine da casa, Coletivo IFanzine e Em Cada Canto um Conto. 
A feira de Zines ocupou a quadra poliesportiva, reunindo
autores convidados e novos talentos revelados pelo projeto.
A coordenação da Fanzinoteca  agradece imensamente aos visitantes, sobretudo aos autor@s que vieram de regiões mais distantes e que diversificaram o conteúdo das publicações e repertório em cena no evento, que contemplou expressões de quadrinhos, literatura, abordagens politizadas sobre alimentação, resgate de tradição oral, movimentos sociais, punk, visualidades, entre outros, como fio condutor de diálogos ocorridos num clima acolhedor de respeito ao diverso, com ênfase na criatividade e generosidade presente na relação dos que fazem e apreciam o fanzine.  
A II MOSTRA de ZINES PEIBÊ é uma estratégia promissora para aglutinar autores afeitos à autopublicação e identificados com o fanzinato e firma-se como um destacado evento de cultura independente do estado do Rio, provando que o zine continua mais vivo do que nunca.

23 outubro 2018

Tá chegando a hora!


A Mostra de Zines Peibê teve sua origem nas celebrações do dia nacional dos fanzines, comemorado em 12 de outubro, data de lançamento daquele que é considerado o primeiro Zine do Brasil, o Ficção, do cartunista piracicabano Edson Rontani. A partir da inauguração da Fanzinoteca IFF Macaé em 11 de outubro passado, a Mostra de Zines institui-se como o principal evento anual da Fanzinoteca. Este ano a Mostra acontece em 25 e 26 de outubro, próxima quinta e sexta, com rodas de conversa, oficinas, exposição e feira de zines. Uma programação diversificada e muitos autores da região e de outras tribos pra agradar de cheio quem é hospedeiro do vírus da fanzinagem e quem curte cultura independente.
Então não deixe de participar, é só chegar que essa festa promete! 
Confere a programação...