20 junho 2018

Resenha: DELIRIUM - Laura Athayde

DELIRIUM

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O ZINE ONLINE
Eis-me aqui, submerso. Sentindo. Tentando, de alguma forma, fazer-me legível, compreensível; erguendo-me vagarosamente, engatinhando nas palavras, nas mais profundas espirais de meus pensamentos. Ao ler, devo apressar-me a admitir, fui tomado por um sentimento nostálgico e asfixiante de liberdade e clausura, um misto, uma confusão, ou, ainda, uma loucura – como salienta a própria descrição gravada na contracapa, o que, na minha opinião, deixa quase que um apelo, um grito abafado, ou uma espécie de advertência, pairando no ar: loucura ou perda de inocência?!
Há algo agudamente doloroso e tocante na poesia gravada nas páginas deste Zine, desde a capa à última página, onde, sem saber ao certo o que fazer, pensar ou sentir, nos vemos à mercê da emoção. A cabeça, em polvorosa, num turbilhão de informações e memórias, ao menos no meu caso, que me afogo em todo tipo de poesia.
Sobre, entre coisas mais, peculiaridades. Sobre um alguém que, tendo brilhado, feito farol na escuridão, incomodou os que a habitavam; um alguém que enfrentou perdas inconsoláveis, processos doloridos de viver, a guerra da afirmação e aceitação de si mesmo, até que ser quem era, tornou-se um fardo pesado demais para carregar num mundo em que o diferente é abominável aos olhos.
Delirium apresenta, por meio da poesia verbal e não verbal – ilustrações e traço minimalistas –, dois extremos.
Vida e Morte. Ser ou Não ser.
Escolha. E assim será.
Sugestivo e interrogativo. Profundo e enigmático. Por fim, digo-lhes, corajosamente, certo de que nenhuma palavra minha seria capaz de comportar tal mensagem em plenitude: julgue por si mesmo.




Título: DELIRIUM
Autora: Laura Athayde
Editora: Independente
Conteúdo: Quadrinhos. Relatos de Vida. Esquizofrenia.
Formato: 15x21 cm - 12 páginas
Belo Horizonte - MG
Data: 2014

Contato:
https://www.facebook.com/laura.athayde.9
http://ltdathayde.tumblr.com/

08 maio 2018

Oficina de Zine sobre Alimentação Consciente em Parceria com UFRJ Campus Macaé

O movimento "Comer Pra Quê?" é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), entre outras instituições comprometidas com o Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável. Em Macaé, o movimento é conduzido pela UFRJ sob a coordenação da professora do curso de Nutrição, Amábela Avelar. Os participantes do projeto estarão nesta quinta-feira, 10 de maio, das 13h às 16h, na Fanzinoteca do IFFluminense, Campus Macaé, para dinamizar uma oficina de fanzines em parceria com o projeto IFanzine.
O objetivo da oficina é promover discussões e subsidiar a criação de fanzines que abordem a consciência crítica sobre as práticas alimentares. "Pensar a comida de verdade além de seus aspectos nutricionais é descobrir as dimensões ambiental, psicossocial, cultural, econômica e biológica do alimento - um pensar que vá do sabor ao saber, do quintal à mesa", segundo o website do movimento.
A oficina é gratuita e aberta a todos os interessados. Os zines produzidos farão parte do acervo da Fanzinoteca do Campus Macaé.
(Fonte: Portal do IFFluminense)

18 abril 2018

Parceria entre IFanzine e Editora Marca de Fantasia

Especializada em publicações independentes,
a Editora Marca de Fantasia disponibiliza
as edições do IFanzine.
As publicações editadas pelo Projeto IFanzine estão agora disponíveis para acesso online e download no site da Editora Marca de Fantasia, representando mais um importante destaque para o projeto do Campus Macaé que vem alcançando projeção nacional e revelado talentos entre os estudantes do IFFluminense.
A Marca de Fantasia é uma editora independente dedicada às Histórias em Quadrinhos, Artes, Comunicação, Linguística e à Cultura Pop. A editora é um projeto de extensão do professor Henrique Magalhães, do Departamento de Comunicação e Turismo da UFPB. A proposta da editora Marca de Fantasia contempla as vertentes mais importantes dos quadrinhos independentes no Brasil, que vêm tendo pouca atenção das editoras comerciais: fanzine – ou revista de conteúdo jornalístico; revista de quadrinhos poético-filosóficos, tiras, álbuns de quadrinhos; livros teóricos sobre História em Quadrinhos, Cultura Pop, Comunicação, Linguística e Artes.
Segundo o editor, Henrique Magalhães, a utilização do fanzine como instrumento pedagógico e estímulo à autoralidade tem sido uma prática exitosa, embora ainda não tão recorrente. O projeto IFanzine, do Instituto Federal Fluminense Campus Macaé, é um destacado exemplo, ao envolver a comunidade estudantil e valorização do próprio fanzine, que na artesania envolvida, reforça a importância da produção coletiva, bem como do estímulo aos jovens escolares e universitários na prática da autoedição e na liberdade de expressão. Henrique destaca ainda que as publicações do projeto IFanzine, em especial o zine PEIBÊ, premiado com o Troféu Ângelo Agostini, e a recém criada Fanzinoteca gerida pelo projeto, são um sopro criativo que mostra a potencialidade expressiva dos jovens autores por meio da edição de fanzine e, sem dúvida, aponta para um dos mais producentes caminhos que esse tipo de publicação deve seguir.
Para Alberto de Souza, coordenador do projeto, ver os fanzines do projeto no site da Marca de Fantasia é uma honra. "Trata-se de uma editora que há muitos anos vem promovendo as vertentes mais importantes dos quadrinhos independentes e fanzines no Brasil, que não têm destaque entre as editoras comerciais e que desta forma vem divulgando e estimulando a produção cultural no país. Embora o projeto IFanzine privilegie a versão impressa e a experiência e interação presencial envolvida na feitura dos zines, a veiculação online é importante para ampliar as parcerias do projeto com os autores independentes pelo país afora, afinal, consideramos este um dos pontos fortes do projeto, unir os autores independentes veteranos aos novos autores que vamos formando por meio do estímulo que o projeto representa para os estudantes envolvidos nas ações do projeto", disse.
Acesse aqui as publicações do projeto IFanzine no site da Marca de Fantasia
(Fonte: Portal do Instituto Federal Fluminense)

Parceria IFanzine e Biblioteca de Fanzines

Biblioteca de Fanzines - Acervo de e-zines.
Projeto criado pela poetisa Daniela Dias, de Vila Velha/ES.
Mais uma parceria foi travada entre o projeto IFanzine/Fanzinoteca IFF Macaé e a Biblioteca de Fanzines coordenada pela escritora Daniela Dias, que a partir de agora hospedará no acervo virtual os zines do projeto do IFFluminense Campus Macaé.
Daniela Dias é poetisa e fanzineira idealizadora desta biblioteca online,  criada em 04/05/2017.      Segundo a autora, o espaço virtual foi criado para seus próprios escritos e depois abriu-se o acervo virtual para hospedar zines e publicações independentes de qualquer pessoa que queira enviar e divulgar sua arte.
A biblioteca recebe conteúdos de todos os assuntos, com exceção, é claro, para  materiais de cunho; machista, racista, homofóbico ou de qualquer outro tipo  de preconceito que fira os direitos humanos.
Clique no link para acessar o acervo:
BIBLIOTECA DE FANZINES
Blog da autora - DANIELA DIAS

14 março 2018

Equipe da Fanzinoteca IFF Macae promove oficina para calouros de nutrição da UFRJ

Numa parceria entre os projetos "Comer Pra Quê?" e Fanzinoteca IFF Macaé, realizou-se nesta quarta, 14 de março de 2018, pela manhã, uma Oficina de Fanzine para os Calouros do Curso de Nutrição, integrando a programação de recepção de calouros.

Sob coordenação da nutricionista Amábela de Avelar Cordeiro, o Comer Pra Quê? é um movimento de mobilização da juventude para pensar a alimentação como ato político, despertando a consciência crítica sobre suas práticas alimentares, donde se busca dar voz e visibilidade aos desafios dos jovens para se alimentarem de forma adequada e sustentável. 

O evento iniciou-se com uma apresentação dialogada apontando conexões sobre as práticas alimentares cotidianas, tais como sustentabilidade, desperdício, comportamento e outros, enfatizando-se neste evento de apresentação do projeto aos calouros a discussão sobre alimentação em face das questões de gênero, despertando interesse dos presentes a pensar no alimento "para além do prato".

Em seguida, a equipe da Fanzinoteca IFF Macaé, representada pelo coordenador Alberto de Souza e a bolsista Karoll Castro apresentou o fanzine como mídia alternativa contra hegemônica e  ferramenta facilitadora do exercício da autoria, numa proposta livre e estimulante, exemplificando técnicas artesanais de produção textual e de imagens ao estilo "faça você mesmo" e conceitos que permeiam a prática da fanzinagem.

Ao final os participantes produziram zines com a temática em discussão, e socializaram os trabalhos produzidos, manifestando, em geral, a satisfação com a proposta criativa, a forma despojada de construir as ideias em coletivo, e a quebra de padrões proposta pelo artefato zineiro.

Confira abaixo o zine produzido pela Karoll Castro durante a oficina.